Ricardo Graham Ferreira

Gente - Nova Friburgo


 

Galeria de Fotos

A arte de carpintejar

Ricardo Graham Ferreira estudou na Itália e na França. Foto: Tasso Marcelo/Diadorim Ideias
< >

Navegue pelo Mapa

Em uma das quebradas da estrada que leva a São Pedro da Serra, há um enorme galpão de marcenaria. Sobre bancadas e prateleiras, uma variedade de ferramentas e máquinas para quebrar quinas, fazer rasgos, cortes retos e em curvas. O ateliê pertence ao ebanista carioca Ricardo Graham Ferreira, 39 anos, que estudou no Centro de Formação Profissional Giuseppe Terragni, em Milão, na Itália, e na Escola Superior de Ebanisteria de Avignon, na França.

Graham reverencia técnicas seculares da marcenaria. Seus aparadores, bancos, cadeiras, mesas, escrivaninhas, sofás e gaveteiros são feitos com encaixes, sem a necessidade de pregos. "No Egito antigo, a madeira era colada com baba de peixe. É preciso dar espaço para ela ceder e se acomodar", afirma Graham. Para fixar os móveis, utiliza espigas, borboletas, cunhas, gravatas - acessórios saídos da própria madeira e que compõem o design da peça. 

O artesão trabalha muito por encomenda e o galpão em Friburgo tem poucas peças em exposição, entre elas o sofisticado banco Aragonês do Cerrado, que recebeu menção honrosa no prêmio Design da Terra, do Senai, em 2011, e o 1º Prêmio Ecoleo de Design, de madeira certificada, em 2009, em São Paulo. Os móveis não são pintados e recebem apenas acabamento com óleo vegetal, linhaça ou cera. Os preços podem variar de 700 a R$ 5 mil, ou mais, dependendo da peça. 

Há móveis com assinatura de Graham no Museu de Arte Moderna (MAM) e no Museu de Arte do Rio (MAR). Ele também mantém um showroom em uma loja na Rua do Mercado, na Praça XV, no Centro do Rio. No ateliê de Graham, montado em 2006 no sítio onde mora em Nova Friburgo, nada é feito em ébano, mas com madeira nativa, como cabriúva e ipê. O termo que Graham adotou para sua profissão, de ebanista, caiu em desuso. Referia-se, na Europa do século 18, ao trabalho com o ébano e outras madeiras exóticas. Mais tarde, passou a designar genericamente o "oficial" de oficina ou a arte de carpintejar. Que Graham entende muito bem.

 

 

 

 


Serviço

Endereço: Estrada do Belório, 105, Mury
Telefone: (22) 2542-2676
Email: contato@oebanista.com.br
Site: http://www.oebanista.com.br

Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro Petrobras

Apple Store Google Play

Coordenação, Produção e Conteúdo    Diadorim ideias & comunicações