Associação Cultural Sementes D’África

Patrimônio Imaterial - Barra do Piraí


 

Galeria de Fotos

Tradição jongueira

< >

Navegue pelo Mapa

A tradição jongueira é passada de geração para geração em Barra do Piraí. Em Boa Sorte, a família de Marina Adelino, a Tia Marina, realiza rodas de jongo onde se bate o caxambu (tambor grande) e cantam-se os pontos ou versos. Na Boca do Mato, Eva Lúcia de Moraes, sobrinha e afilhada do mestre Juquinha, comanda os rituais.

De geração para geração. Foto: Isabela Kassow/Diadorim Ideias.

Em 2007, famílias fundaram a Associação Cultural Sementes D'África e organizaram a prática do jongo em Barra do Piraí, tornando-se um Ponto de Cultura. O presidente é Cosme Medeiros, um dos líderes do grupo Filhos de Angola, e Eva Lúcia é a vice-presidente. O jongo está na família de Eva Lúcia desde 1814.

"Ele começou nas senzalas das fazendas de café. Com a abolição dos escravos, muitos foram trabalhar na rede ferroviária e povoaram a região. Por ser marginalizado, só se fazia roda de jongo em dia de festa no terreiro ou no fundo do quintal. Batíamos o tambor e o pessoal pensava que era macumba. Nos casamentos, fazíamos um baile pra disfarçar e a roda de jongo acontecia nos fundos da festa", explica Eva.

Roda de festa no terreiro. Foto: Isabela Kassow/Diadorim Ideias.

Ela ensina que os dois tambores pequenos (candongueiros) e o caxambu dão o ritmo da roda, bem marcado pelo mucoco - pedaço de pau usado para bater no caxambu.  E diz que para afinar os tambores é preciso posicionar os instrumentos com o couro virado para uma fogueira. "E tem que passar cachaça no couro", revela. Os grupos de jongo de Eva cantam versos como: "Preto também chora/ Preto também ri/ 20 de novembro/ É o dia de Zumbi". Eles percorrem escolas da região e visitam fazendas históricas para cantar, dançar e mostrar como se afinam os tambores na fogueira.

Hoje, o jongo de Tia Marina não integra mais a Associação. Mas seus descendentes realizam uma roda todo 13 de maio, Dia do Preto Velho, além de participarem da comemoração do Dia da Consciência Negra na cidade.


Serviço

Endereço: Travessa Pedro Lara 10, sala 18, Centro, Barra do Piraí
Telefone: (24) 2443-1397 / (24) 99253-2591 - Eva
Site: http://www.pontaojongo.uff.br/jongo-de-barra-do-pirairj

Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro Petrobras

Apple Store Google Play

Coordenação, Produção e Conteúdo    Diadorim ideias & comunicações